terça-feira, 6 de Outubro de 2009

Mãe depois dos 35?

Tenho andado a pesquisar sobre este tema, já que temos andado a prometer ao Zé Pedro que vai ter um(a) irmã(o). Encontrei na internet um artigo que saiu na revista "Mãe Ideal". Aqui fica, pode ser que interesse a mais alguém:

Mamã aos 35?
As mulheres grávidas de mais de 35 amos já não são uma raridade. E mais, aquelas que têm 40 ou mais são cada vez mais frequentes. Mas o tema continua a ser complexo e envolto em mitos e regras culturais.

Nas gerações que nos precederam, era comum que as mulheres se casassem muito jovens, e a sua maior responsabilidade eram os cuidados do crescimento e do desenvolvimento social dos seus filhos. Mas o tempo passou e as coisas mudaram. Actualmente, as futuras mamãs com mais de 35 anos já não são uma raridade. Diariamente encontramo-nos com mulheres que despertam para a maternidade tendo já cruzado a fronteira dos 40. A maternidade deixou de ser património exclusivo das mulheres jovens. Como consequência da evolução no que se refere a comportamentos sociais, e devido aos avanços na compreensão dos fenómenos biológicos que se conseguiram nas últimas décadas, hoje em dia uma metade da vida activa da mulher decorre durante o seu climatérico. Assim, o avanço e a sofisticação das técnicas de fertilização assistida permitiram que muitas mulheres adiram à maternidade em idades tardias, até mesmo na quinta década da sua vida. Mas ter em conta unicamente os anos que acusa o calendário seria simplificar todo este conjunto demasiado complexo. Não podemos esquecer que os efeitos da idade provavelmente variam de uma mulher para outra de acordo com os seus antecedentes pessoais e obstétricos, assim como também não são necessariamente idênticas as causas que determinaram uma maternidade tardia. Com isto, queremos dizer que pode haver grandes diferenças entre a idade cronológica e a idade biológica de uma mulher.

Até quando?

Uma pergunta que devemos fazer é se existe uma idade na qual a gravidez deveria ser proibida. São muitos os factores pessoais e sociais envolvidos numa decisão tão importante como procriar. Responder a uma mulher com mais de 40 anos acerca da gravidez não é tarefa fácil, já que a explicação dos riscos é parcial e de débil fundamentação. Provavelmente, não há uma idade em que a gravidez não seja segura, nem a idade por si só pode contra-indicá-la. Cada mulher deve ser aconselhada de modo que possa tomar uma decisão responsável junto com o seu marido, contando com uma informação precisa sobre os potenciais riscos de engravidar na sua idade.

Os riscos

Uma vez conseguida a gravidez depois dos 35 anos, a mulher enfrentará alguns riscos, que nessa idade acontecem com uma maior frequência do que com uma gravidez dez anos antes, por exemplo, a incidência de aborto espontâneo no primeiro trimestre é mais frequente nestas mulheres do que nas mais jovens, dado que quando estas perdas acontecem, na maioria das vezes devem-se a anomalias cromossómicas, que aumentam de modo considerável depois dos 34 ou 35 anos. A anomalia mais conhecida é a Trissomia do par 21 ou Sindroma de Down. É por este motivo que muitas destas mulheres se submetem a colheita de líquido amniótico para estudo do cariotipo fetal com o objectivo de avaliar anomalias cromossómicas.

Mais cesarianas

Entre as mulheres que passaram a barreira dos 35, estatisticamente há um incremento no número de intervenções por cesariana. É provável que este aumento se deva ao facto das mulheres apresentarem mais complicações tanto durante a gravidez como durante o parto. Mas, obviamente, isto não quer dizer que uma grávida não possa conseguir um parto vaginal. Para avaliar esta possibilidade devem ter-se em consideração distintos factores como a saúde do feto, a forma da pélvis materna, se se trata do primeiro bebé ou se a mulher teve partos vaginais ou cesarianas anteriormente.

Mais idade, maiores complicações?

A diabetes, assim como a hipertensão arterial, também são mais frequentes nas futuras mães de mais de 30 anos de idade no final da gestação. No caso de mulheres que já têm estas doenças antes de ficarem grávidas, é lógico pensar-se que complicarão ainda mais a gravidez do que se estas doenças forem unicamente diagnosticadas pela primeira vez durante a gravidez. Isto é importante dado que poderíamos generalizar que, se uma mulher enfrenta uma gestação com um bom estado de saúde, o seu prognóstico será muito mais favorável do que o de uma outra que inicia uma gestação com padecimentos de longa data. Os fibromas são tumores benignos do útero que frequentemente afectam as mulheres depois dos 30 anos. Estes tumores podem crescer devido ao estímulo hormonal próprio da gestação e, depois do parto, podem regredir para o seu tamanho habitual. Mesmo quando se encontram em quantidade e adquirem um tamanho considerável, raramente são causa de aborto. Às vezes o crescimento do fibroma compromete a vascularização ou a chegada de sangue ao mesmo, pelo que pode iniciar um processo de degeneração interna, o que se manifesta por uma dor muito intensa na zona onde está colocado. Geralmente, estes quadros cedem em poucos dias com repouso e analgésicos. Por tudo isto, o mais importante é saber que ter um filho é uma decisão emocional e intelectual. Assim, poderíamos aceitar que qualquer que seja o momento da concepção, ele é o «momento certo».

segunda-feira, 5 de Outubro de 2009

O meu bolo de aniversário...

Este ano, o meu filhote e o meu marido resolveram fazer-me uma surpresa e foram comprar um bolo para o meu aniversário. Eu fiquei toda contente, porque adoro surpresas. Mas não esperava uma tão grande... Imagem a minha cara quando vi o bolo. Foi o Zé Pedro que o escolheu... Com alguns dos seus amigos favoritos: Mogli, Balu e o elefante bebé, do filme "O Livro da Selva".
Nada como voltar à infância, quando estamos quase a chegar aos 40...

LOL

A Coudelaria

Este Verão, como fomos passar uma semana com os avós ao Alentejo, divertimo-nos a fazer umas férias diferentes, visitando sítios onde não costumamos ir.

Decidimos ir à Coudelaria de Alter do Chão, já que o Zé Pedro adora animais e ficam aqui algumas fotos para verem como nos divertimos.


A ver os coches



Com as éguas e os potros



Com a águia

Uma bela prenda de Natal


O ano passado, perto do Natal, andávamos no desespero do costume... O que vamos oferecer à família. O meu marido lembrou-se que tinha ouvido falar de um site em que se podiam fazer e mandar imprimir livros.
Resolvemos então fazer um livro personalizado com as fotos do Zé Pedro desde o nascimento.
Fomos então ao site da Blurb (http://www.blurb.com/), fizemos o download do software e divertimo-nos imenso a fazer um livro de fotografias do nosso filhote. Para além do livro ter ficado muito bonito e dos nossos familiares terem adorado a prenda, para nós foi muito bom fazê-lo. Recordámos imensas coisas e revimos os quatro anos de vida com o nosso filhote.
Fica a sugestão. Façam um livro de qualidade profissional com as fotos do vosso filhote e façam a alegria de avós e tios.
Nota: Devem configurar o vosso livro como "private", para que mais ninguém o posso mandar imprimir.

Os Jogos Tradicionais - O Macaquinho do Chinês

Era um dos meus jogos favoritos. Jogava-o muitas vezes com a minha irmã e com as minhas primas. Encontrei na Internet um site que o descreve da seguinte forma:

Jogam oito ou mais crianças, num espaço que tenha parede ou muro, embora estes possam ser substituídos por um risco desenhado no chão.


Uma criança, o “macaquinho chinês, posiciona-se junto ao muro, virada para a parede, e de costas para as outras, que estão colocadas lado a lado, a cerca de dez metros ou mais.
O macaquinho chinês bate com as mãos na parede dizendo: “Um, dois, três, macaquinho chinês”.


Enquanto este diz a frase, os outros avançam na direcção da parede. Mal o macaquinho chinês termina a frase volta-se imediatamente para os outros, tentando ver alguém a mexer-se. Quem for visto a mexer-se volta para trás até à linha de partida. Assim, as crianças só podem avançar quando o macaquinho chinês diz a frase, pois ele pode fingir voltar-se para a parede e olhar para trás, a ver se apanha alguém a mexer-se.


A primeira criança que chegar à parede será o próximo macaquinho chinês.


Noutra variante, quando o macaquinho chinês se vira para as outras crianças e estas se encontram estáticas, faz cócegas a duas delas (escolhidas ao acaso), tentando que estas se mexam e obrigando-as assim, a regressarem para a linha de partida.

http://www.prof2000.pt/users/cfpoa/jogosinfantis/

domingo, 4 de Outubro de 2009

McQueen



Cá por casa, somos todos fãs do Faísca McQueen... Acho que a fã nº. 1 sou eu... Adoro o filme Cars e todas as suas personagens, mas o meu filhote também adora. Temos os pijamas do Faísca, o Faísca Limpinho, o Faísca Sujo, o Faísca de Radiador Springs, a mochila do Faísca, a colecção de cromos do Faísca, os livros do Faísca, já tivemos dois bolos de aniversário do Faísca...
Somos mesmo fãs do Faísca.


Os Esquerdinos

Na Revista Bebé Saude de Setembro saiu uma reportagem sobre esquerdinos, que me interessou porque o meu filhote e o meu marido são e aqui fica o texto da mesma.

Os esquerdinos
A lateralidade de uma criança começa normalmente a notar-se a partir dos três anos, vindo a confirmar-se cerca dos seis. Ser esquerdino não é ter uma deficiência e muitas vezes, pode considerar-se uma vantagem.
Felizmente já lá vai o tempo em que as crianças esquerdinas eram obrigadas pelos seus educadores - pais e professores - a utilizarem a mão direita para todas as suas actividades.
Presentemente, estas situações traumáticas que, inclusive, provocavam muitas vezes problemas ao nível da aprendizagem da escrita e da linguagem, para além de problemas sócio-afectivos, não acontecem. As crianças esquerdinas - canhotas - são aceites normalmente pelos seus pares. Todavia, o mundo está concebido para os dextros e os esquerdinos têm de se adaptar a ele, às vezes com algumas dificuldades.

Os hemisférios cerebrais
O cérebro está dividido em dois hemisférios - direito e esquerdo - e cada um deles comanda a parte oposta do corpo. Nos dextros, o hemisfério que predomina é o esquerdo e consequentemente a sua maior capacidade para a dextralidade. No caso dos esquerdinos, o hemisfério que lidera é o direito.
Muito embora não se possa efectivamente detectar precocemente, porque as crianças pequenas utilizam indiferenciadamente as duas mãos, a preferência pela utilização de um dos lados do corpo começa a definir-se desde o início da vida. A função dos pais será estimular a preferência da lateralidade dos filhos e nunca a contrariar.
Causas da preferência da lateralidade
Os especialistas revelam que poderão existir diversas causas para que uma criança seja esquerdina. Entre elas destacamos:
Há famílias com maior incidência de esquerdinos. Segundo um estudo realizado em 1992, existem 10% de hipóteses de uma criança ser esquerdina quando ambos os pais são dextros; 20% quando um dos pais (especialmente a mãe) é canhota; e de 26% de hipóteses se ambos os pais são esquerdinos.
A posição do feto no útero materno pode influenciar a predisposição para a utilização de uma das mãos.
A testosterona influencia a lateralização funcional do cérebro. Este factor está também relacionado com o sexo, sendo que, há mais 20% de homens canhotos do que mulheres.

O mundo real
O mundo foi todo planeado para os dextros. Os pais devem seguir algumas pautas para que uma criança esquerdina possa conviver mais facilmente no seu dia-a-dia.
• Deixe o seu filho ter uma preferência definida antes de iniciar o processo da escrita. Assim, mais facilmente evitará que as suas letras sejam pequenas e pouco legíveis, algo habitual no caso dos esquerdinos.
• Quando inicia o processo da escrita, deve ensiná-lo a segurar a caneta um pouco mais atrás, de forma a não borrar o que já escreveu.
• Compre-lhe material adequado para esquerdinos.
• Ensine-o a inclinar ligeiramente a folha onde escreve ou desenha para lhe facilitar a tarefa.
• Ensine-o a segurar o papel com a mão direita, de forma a poder ver o que escreve.
• Coloque-lhe um foco de luz do lado direito, para que, enquanto escreve, o seu corpo não faça sombra sobre o papel.
O seu filho poderá sentir algumas dificuldades na escola e no refeitório. Assim, quando se sentar numa carteira com um colega dextro, deverá ficar do lado esquerdo para que não bata com o cotovelo no colega. No refeitório, deverá ter os talheres na sua posição preferencial para facilitar a aprendizagem.
Ser “canhoto” não é um defeito
Ser canhoto era considerado no início do século passado como um defeito e até se dizia que os esquerdinos eram menos inteligentes que os dextros. A verdade é que hoje, já ninguém pensa deste modo. Qualquer criança canhota pode vir a destacar-se na sua vida adulta nas mais diversas profissões. São exemplo disso figuras destacadas como:
- A actriz Angelina Jolie
- A apresentadora Oprah Winfrey
- A rainha Elisabeth II
- A heroína francesa Joana D’Arc
- O actor Tom Cruise
- O astronauta Neil Armstrong
- O cantor David Archuleta
- O dirigente e pacifista indiano Ghandi
- O escritor António Lobo Antunes
- O ex presidente Bill Clinton
- O filósofo grego Aristóteles
- O imperador romano Júlio César
- O imperador Napoleão Bonaparte
- O futebolista Maradona
- O futebolista Romário
- O magnata Bill Gates
- O músico Paul McCartney
- O piloto de fórmula I Ayrton Senna
- O pintor Leonardo Da Vinci
- O pintor Pablo Picasso
- O presidente Barack Obama
- O presidente Fidel Castro
- O sábio inventor Benjamim Franklin
- O tenista Rafael Nadal

Curiosidade
O Dia Internacional dos Esquerdinos comemora-se a 13 de Agosto e nesta data tenta-se sempre, em todo o mundo, fazer com que os diferentes governos entendam como pode ser por vezes difícil viver num mundo onde tudo foi concebido para dextros.

Explicar a Gripe A

Tinha alguma dificuldade em explicar ao Zé Pedro a questão da Gripe A. Sem o assustar, queria alertá-lo para os cuidados a ter. Encontrei na página do Plano Nacional de Leitura, alguns livros digitais que me ajudaram a explicar-lhe os cuidados a ter.
No You Tube encontrei os videos da Mônica sobre o mesmo tema.

Que crescido está o meu filho


O meu filhote já se entretém na net.
Já vê as páginas dos desenhos animados favoritos e consulta páginas sobre animais, com a nossa ajuda, claro, mas já se desenrasca bem com o rato.